Duas Irenes é selecionado para o Festival de Gramado

cultura
14 de julho de 2017

O filme Duas Irenes foi selecionado para uma das mostras competitivas do 45º Festival de Cinema de Gramado, que será realizado de 17 a 26 de agosto na cidade que dá nome ao festival, no Rio Grande do Sul. A produção goiana e paulista foi produzida com recursos do Governo de Goiás, via Fundo de Arte e Cultura e Lei Goyazes, e está entre os sete longas-metragens brasileiros que concorrem a diversos prêmios, como o de melhor filme, diretor, roteiro, atriz e ator. A premiação inclui o troféu Kikito e prêmios em dinheiro, que variam de R$ 5 mil a 65 mil reais.

O diretor do filme, Fábio Meira, comemorou a seleção e disse que o objetivo é que a produção esteja em todos os cinemas do país, chegando o mais breve possível ao público goiano. Em Gramado, será a primeira exibição nacional de Duas Irenes, que foi exibido apenas em telas internacionais. Em março deste ano, o filme foi a única produção brasileira exibida no Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, no México, um dos mais antigos e tradicionais da América Latina. O longa  já tinha sido selecionado também para a Mostra Geração, dedicada a filmes com protagonistas jovens do Festival de Berlim 2017.

O Festival de Gramado chega este ano à sua 45ª edição com 42 títulos em competição, 14 longas-metragens divididos entre brasileiros e estrangeiros, e 28 curtas, agrupados nas mostras gaúcha e nacional. Com diversos gêneros, como ficção, documentário, animação, o festival traz filmes de realizadores estreantes, como Fábio Meira (As Duas Irenes) e de Federico Godfrid (do argentino “Pinamar”) – competindo com velhos conhecidos do festival, caso do gaúcho Carlos Gerbase (“Bio”) e de nomes consagrados como Laís Bodansky ou Paulo Betti, que apresenta seu segundo longa como diretor no festival, “A Fera na Selva”.

Além de Duas Irenes, concorrem na categoria de longas-metragens brasileiros os filmes A Fera da Selva (RJ), Bio (RS), Como Nossos Pais (SP), O Matador (PE), Não Devore Meu Coração (RJ), Pela Janela (Brasil/Argentina).

 

Sinopse

Duas Irenes traz um elenco formado por Marco Ricca (como o pai); Susana Ribeiro e pelas atrizes do Grupo Galpão, Inês Peixoto e Teuda Bara, As duas Irenes é protagonizado por Priscila Bittencourt e Isabela Torres, escolhidas após extensa pesquisa de elenco em Goiás e Brasília, e em testes com 200 meninas.

O roteiro do longa fala da descoberta de uma menina de 13 anos, de uma família tradicional do interior: o pai tem uma filha de outra mulher, com a mesma idade e o mesmo nome dela, Irene. Aos poucos ela começa a perceber como se dão as relações sociais e vai entendendo que o universo adulto é feito também de segredos e mentiras.

As duas Irenes foi rodado em 2015, na Cidade de Goiás, mostrando uma pequena cidade que não localiza as personagens em um tempo/espaço específico.  Segundo o diretor Fabio Meira, foram quase dois anos de pesquisa de locação. A ideia era propor um recorte de Goiás diferente do usual, com o propósito de parecer quase deserta, e não um ponto turístico.

O filme foi produzido pela Roseira Filmes e Lacuna Filmes, de Diana Almeida e Daniel Ribeiro, e com coprodução da Balacobaco Filmes.

Diretor

Fábio Meira é formado pela Escola Internacional de Cinema de San Antonio de Los Baños, em Cuba, e começou no cinema como assistente de Ruy Guerra em 2004, em O Veneno da Madrugada.

Como roteirista, trabalhou para diretores como Caru Alves de Souza, com quem escreveu De Menor, Melhor Filme do Festival do Rio de 2013. Realizou nove curtas e média-metragens. Foi também roteirista de The Illusion, dirigido pela cubana Susana Barriga e premiado nos festivais de Berlim, Chicago e Havana.  As duas Irenes é seu primeiro longa como diretor.