Encontro em Goiânia formaliza apoio de importantes parceiros da educação pública

educacao
14 de março de 2019

As famílias dos 10 municípios goianos diagnosticados com os piores índices socioeconômicos e educacionais do Estado serão as primeiras a serem beneficiadas com as ações da rede colaborativa formada por importantes parceiros da educação goiana. Entre eles Ministério da Educação, Fundação Lemann, Itaú BBA, Instituto Natura, Instituto Ayrton Senna, Sebrae Goiás, Todos pela Educação, Instituto Bei e Unicef.

Representantes de cada um desses parceiros estiveram em Goiânia nesta quinta-feira (14/3) para participarem de um encontro de apresentação de propostas ao governador Ronaldo Caiado e à primeira-dama Gracinha Caiado. A reunião foi organizada pela secretária de Educação, Fátima Gavioli, e contou com as presenças de todos os superintendentes da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

“Hoje está sendo um dia muito importante para nós porque conseguimos reunir aqui importantes parceiros para a educação pública de Goiás, todos interessados em melhorar o ensino público goiano”, destacou Fátima Gavioli.

A secretária afirmou que equipes das Secretarias de Educação e de Desenvolvimento Social já estão na região dos dez municípios do Nordeste goiano apontados pelo Índice Multidimensional de Carência das Famílias (IMCF) como os de maior vulnerabilidade do Estado.

União de forças

De posse dos índices educacionais, Fátima Gavioli afirmou que os principais desafios na região são a evasão escolar e a defasagem no Ensino Fundamental II e Médio e o atendimento à Educação de Jovens e Adultos (EJA) nas comunidades rurais e quilombolas.

Outro desafio lançado aos parceiros da educação goiana foi traçar estratégias para evitar a queda nos índices de aprendizagem detectada nas avaliações de 2018 do Sistema de Avaliação Educacional do Estado de Goiás (Saego). “Recebi hoje dados que mostram que Goiás caiu em seus resultados e agora cabe a nós unirmos força e voltar a crescer”, ressaltou a secretária.

A boa notícia dada por Fátima Gavioli é a integração à equipe da Seduc de dois consultores de excelência na área de educação pública. São eles Alexandre Schneider e Mendonça Filho, gentilmente cedidos pela Fundação Lemann.

A primeira-dama Gracinha Caiado, à frente do Gabinete de Políticas Sociais, destacou que Goiás será o primeiro Estado brasileiro a construir políticas públicas para transformar a realidade das famílias do Nordeste goiano que sofrem com a ausência do poder público em suas necessidades mais básicas.

Desenvolvimento regional

As ações que serão adotadas pelo Governo de Goiás em diversas frentes, segundo ela, trabalham dentro da perspectiva real de melhorar a qualidade de vida de crianças, jovens e adultos. “O IMCF vai além da carência financeira e incorpora uma série de outros indicadores como educação, moradia, saneamento básico, saúde, emprego, renda e infraestrutura”.

O governador Ronaldo Caiado lembrou um importante passo dado pelo Governo de Goiás no sentido de levar desenvolvimento à região, que foi o acordo feito com um grupo de empresários da Coreia do Sul para instalação de uma usina fotovoltaica entre os municípios de Flores de Goiás e São João da Aliança.

“Depois de instalada, teremos aqui a maior usina do gênero no mundo. Com a chegada dessa indústria serão criados mais de mil empregos diretos, o que garantirá à população melhor qualidade de vida e dignidade”. Os investimentos para instalação da usina serão em torno de R$ 8 bilhões.

Redução de despesas

O diretor de Articulação e Expansão de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), Wilson Nobre Filho, propôs ao governador Ronaldo Caiado uma parceria para capacitação de mão de obra especializada de forma a atender a demanda da usina fotovoltaica e ainda do complexo turístico que será implantado na região.

O governador Ronaldo Caiado agradeceu o apoio de todos os parceiros e avaliou a iniciativa de Fátima Gavioli como extremamente positiva. Conforme o governador, o desafio de seu secretariado é realizar uma gestão eficiente e de otimização de recursos. Mais uma vez ele elogiou a secretária pela adoção de medidas de grande impacto econômico, como a redução da folha de pagamento com o corte dos comissionados e a mudança da sede para o prédio do Instituto de Educação de Goiás (IEG), que representará uma economia anual de mais de R$ 7 milhões.