Fátima Gavioli recebe comenda Chica Machado na Assembleia Legislativa

educacao
8 de março de 2019

Secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli recebeu na noite desta quinta-feira (7/3) a Comenda Chica Machado, na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego). A comenda foi proposta e entregue pelo deputado estadual Karlos Cabral (PDT-GO), que presidiu a sessão e destacou a importância das homenageadas. “Celebrar o Dia da Mulher tem um significado tão especial que essa data deveria ser comemorada todos os dias”, ressaltou.

Em seu discurso, o parlamentar frisou que a violência contra a mulher no Estado cresceu 22% em relação a 2017. O deputado estadual lamentou os altos índices de feminicídio que ainda vigoram em Goiás. Karlos Cabral lembrou também outra realidade lamentável, onde 34% das mulheres ouvidas em uma pesquisa afirmaram já ter sido vítimas de assédio sexual dentro do transporte coletivo.

Fátima Gavioli agradeceu por ter sido lembrada pelo deputado e ressaltou a importância do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. Ao conhecer a história de luta de Chica Machado, a secretária ficou encantada.

A história de Chica Machado foi resgatada pela escritora Adélia Freitas, que durante a solenidade na Alego contou quem foi a mulher que deu origem ao nome da Comenda. Chica Machado é uma ex-escrava que se tornou muito influente na região de Niquelândia por volta de 1750.

“Nega cativa, ela era muito poderosa. Tinha muito ouro e comprava a carta de alforria dos outros negros. Mas eles continuavam com ela servindo por amor. Ninguém casava ou comprava terra sem perguntar a opinião de Chica Machado. Ela tinha amigos fazendeiros na Bahia e, na época da colheita, emprestava mais de 50 escravos que não faziam falta, tamanho era seu poder e riqueza”, explicou Adélia Freitas.

Chica Machado é mãe do Padre Silvestre, um negro que falava quatro idiomas, participou da primeira Constituinte ainda no Império e se destacou como deputado por Goiás. (Com informações da Agência Assembleia)