Paes de Barros: “Desenvolvimento pleno do ser humano passa pelas competências socioemocionais”

educacao
15 de Maio de 2018

– Para o Economista-Chefe do Instituto Ayrton Senna, Empatia, diálogo, colaboração, assertividade e autoconhecimento são pontos básicos

 – Para ele, o desafio da  educação do século 21 é fazer o estudante sonhar e buscar a realização de seus sonhos

 

Muito embora quatro séculos antes de Cristo, o filósofo grego Aristóteles já alertava para a importância do desenvolvimento pleno da personalidade humana dentro do processo de educar, ainda hoje esse é um dos grandes desafios do ensino brasileiro.

“Esse tema também está presente na Declaração Universal dos Direitos Humanos, de 1948, e também aparece na Constituição brasileira, nos artigos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e das Diretrizes Curriculares da Educação Básica, e mais recentemente na legislação do novo Ensino Médio”, lembra Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Ayrton Senna (IAS) e professor do Insper.

Um dos coordenadores do edulab21, laboratório do IAS criado com o objetivo de produzir e organizar conteúdos científicos para apoiar as políticas públicas de educação integral, Ricardo foi um dos convidados do Seminário Internacional de Habilidades Socioemocionais realizado nesta terça-feira, 15/05, no auditório do Centro Universitário Alfa, em Goiânia.

Para ele, o desenvolvimento pleno de um ser humano passa inevitavelmente por todos os aspectos que envolvem as competências socioemocionais que, no ambiente educacional, devem ser trabalhadas simultaneamente às competências cognitivas.

Autonomia

Nesse contexto, Ricardo destacou que se tem uma coisa que a escola precisa estar atenta diz respeito à autonomia dos alunos para que eles possam fazer escolhas seguras a partir do seu próprio autoconhecimento. “Esse é o principal desafio que a educação do século 21 coloca aos nossos educadores. Eles tem a missão de fazer o estudante sonhar e dar as condições para que eles possam ter a coragem de buscar a realização de seus sonhos”.

Conforme Ricardo, quatro pontos básicos estão relacionados diretamente às competências socioemocionais: empatia, diálogo, colaboração e assertividade. “Não tem como haver empatia sem diálogo, não tem como existir diálogo sem colaboração, não há colaboração sem assertividade e não há assertividade se não trabalharmos o autoconhecimento com os alunos”.

O Seminário Internacional de Habilidades Socioemocionais reuniu superintendentes da Seduce, coordenadores regionais e gestores educacionais de toda a rede pública estadual. Como palestrantes, além de Ricardo Paes de Barros, estavam a ex-secretária de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, professora Raquel Teixeira; e Filip de Fruit, psicólogo do Instituto Ayrton Senna e professor da Universidade de Grent, na Bélgica. A abertura contou com a presença do titular da Seduce, Marcos das Neves.