“Quero fazer o melhor pela Educação de Goiás”, diz Fátima Gavioli em transmissão de cargo

educacao
3 de janeiro de 2019

O gabinete da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce) sediou na manhã desta quarta-feira, 2/1, a transmissão do cargo de secretário, que passa de Flávio Peixoto para a professora Fátima Gavioli. Durante a solenidade, que contou com a participação de superintendentes, chefes de núcleo, gerentes e servidores, a agora titular da pasta afirmou que quer “fazer o melhor pela Educação de Goiás”.

Em breve discurso, Fátima contou que participou e foi aprovada no processo de seleção para secretária de Educação em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul. “No dia que tinha que dar a resposta, não consegui”, lembrou ao contar que foi quando recebeu uma mensagem do então governador eleito, Ronaldo Caiado, convidando para assumir a pasta em Goiás. “Foi uma honra”, resumiu.

A nova secretária contou um pouco sobre a sua trajetória profissional. Durante alguns anos ela já foi boia-fria e empregada doméstica. Formou-se em Letras e, a partir de então, iniciou a jornada em sala de aula, como professora de carreira em Rondônia. Mestre em Educação, ela é pós-graduada em Gestão Pública, além de bacharel em Direito. Também foi secretária de Educação de Rondônia.

“A Educação de Goiás é a primeira no Brasil, com 4,3 [no Ideb do Ensino Médio]. Temos um bom espaço na régua, a gente pode atingir notas melhores. Se cada um fizer seu melhor, a Educação vai continuar sendo a número 1. Vamos trabalhar juntos, dar as mãos”, afirmou Fátima. “Sou muito de bater estrada, entrar nas escolas, reunir professores de surpresa. No fundo, no fundo, a única coisa que eu quero é fazer o melhor”, completou.

Sobre os desafios, a titular da Seduce disse que a maior meta é cumprir tudo o que consta no plano de governo de Ronaldo Caiado. “O que o governador mais quer é que a gente corrija esse desnivelamento de salário do professor efetivo”, comentou ao citar, ainda, a aposentadoria dos docentes. A nova secretária também falou sobre uma possível reestruturação da secretaria, com vistas a otimizar a utilização dos recursos públicos.

Após dar as boas-vindas à sucessora, o ex-secretário Flávio Peixoto desejou votos de sucesso e sabedoria para lidar com os novos desafios. “Aonde nós temos autonomia, que é a parte pedagógica, somos o melhor. E se cabe um conselho, é alertá-la para a necessidade de uma maior autonomia orçamentária e financeira para a secretaria. Isso gera desafios que poderiam ser evitados se deixassem a secretaria pensar e resolver as questões. No mais, a senhora vai encontrar aqui um pessoal que é apaixonado pela Educação”, afirmou.

Goiânia, 02 de janeiro de 2019.